Discurso de Millena

Discurso feito por Millena, minha irmã, em sua colação de grau ano passado. Por algum motivo, só resolvi renderizar o projeto agora. Ah! Lembrei o motivo: Demorou 20 horas para renderizar! 🙂

http://vimeo.com/jcjeffcarvalho/discursodemillena

Um Segundo por Dia – Ano 18

No final de 2012, conheci o projeto de Cesar Kuriyama intitulado de “1 Second Everyday” (valeu Anynha por ter me mostrado), e aquilo me inspirou de tal forma que me senti na necessidade de fazer o mesmo, resolvi gravar durante todo 2013 um segundo a cada dia.

Você deve se perguntar: Um segundo? Por que não mais tempo?

Você ficaria surpreso com a quantidade de sentimentos que um único segundo pode trazer. Nesse projeto consegui apreciar os momentos mais simples da vida que muitas vezes passam por despercebido e isso é algo fantástico.

Quero agradecer todos aqueles que fizeram o meu ano, em especial aqueles que apareceram nesse vídeo e, claro, obrigado Cesar Kuriyama pela inspiração.

A maioria dos vídeos foram gravados com uma handycam Samsung Q10, 1 segundo foi gravado com um Samsung S3 (valeu, Vanessa), outros 3 com uma Sony NEX-F3 (valeu, César) e 16 com um Razr D1 (não use um Razr D1 pra gravar vídeos, é a dica).

2 segundos foram gravados por minha querida irmã, Millena Carvalho.

Relatório Clássico Anual – 2013

Desde que eu me entendo por gente, talvez esse tenha sido o ano que acabei por aceitá-lo do jeito que foi, não penso que ele deveria ter sido melhor ou que foi pior em comparação aos outros, esse ano foi o que tinha que ter sido e fico feliz por isso.

2013 foi um ano de mudanças geográficas, ideológicas… e o acabo com o sentimento que todas as decisões que tomei foram as melhores que podia tomar. Nesse ano conheci pessoas maravilhosas, tive que lidar com um número imenso de personalidades únicas com seus devidos modos de enxergar o mundo e isso foi uma das partes mais divertidas.

Nesse ano comecei a morar só, numa cidade completamente nova, precisei desenvolver novas habilidades de sobrevivência como não queimar o feijão e descobrir que a louça não se lava sozinha.

Não tenho o que reclamar de 2013, não posso reclamar de um ano que me fez crescer e amadurecer um pouquinho, que até com algumas crises de rins consegui extrair o melhor da situação e perceber que tudo é passageiro, até a dor de parir um alien rochoso pelo seu… … bem…

Obrigado pessoas que fizeram parte da minha 18º temporada e que vocês tenham um excelente 2014.

Saúde

Você está sozinho em casa, de repente espira… o telefone toca, é alguém falando: “Saúde”. Boa noite.

Vídeo feito no ápice do tédio com a participação especial da minha querida irmã.

Checkpoint

Chega um momento da vida que você simplesmente precisa sair da bolha, seja na hora de procurar outro emprego, desenvolver alguma habilidade ou ir para a faculdade, é nesse último que quero focar. 2011 começou esse processo, fim do terceiro ano, aquelas pessoas que você se apegou… cada uma indo para um lado, algumas relações “para sempre” se quebrando, outras “nem pensar” ficando mais forte e assim o processo natural de fases acontecendo.

É engraçado passar por esse momento, pois na mesma medida que é algo empolgante, novas pessoas, nova cidade, momentos inéditos… é chato pensar nos amigos que você não irá mais ver com frequência, aquelas horas que tudo está calmo e pacífico, do nada começa a chegar um…outro e no final você está cantando Beautiful Girls no terceiro andar… não serão mais tão comuns ou quando até o fim do mundo vira motivo pra colocar o sufixo “party” e nos encontrarmos.

Nós podemos ver quem realmente é importante nesses transições de fases, quem estará conosco mesmo quando a geografia deixa de ser só uma matéria chata do colégio e se torna um obstáculo, quantas pessoas já perdi o contato por conta dessa bendita? Mas não importa, esse texto é para agradecer pela existência daqueles verdadeiros amigos, que não foi fim do ensino fundamental, médio e até do cursinho antes da faculdade causadores de afastamento, se mantiveram presentes, cada um de sua forma… que depois dessas reuniões relâmpagos que fazemos, o sentimento é de continuação, não há clima estranho ou falta de assunto, continuamos de onde paramos em uma sincronia perfeita, nada é afetado e é essa a beleza que queria registrar para fins de pesquisa no futuro.

:)

Talvez o Jeff de um passado longínquo não sentisse falta de pessoas assim ao seu redor, sociabilidade não era um dos meus fortes, mas hoje não me vejo sem vocês por perto… mais um checkpoint sendo ativado no próximo mês, um dos maiores até agora, talvez o “próximo” sempre seja o maior, não sei… parece que a coisa vai ficando em um level maior, enfim. Vamos ver no próximo.

Nossos medos de cada dia

Aprendi uma coisa interessante nesses últimos dias sobre o medo, damos muita importância a ele, as vezes deixamos de viver, nos privamos, damos a ele o espaço que poderia ser ocupado por boas lembranças, mas por qual razão? Por que carregar essas verdadeiras âncoras? No final você percebe o tempo que você gastou se corroendo por uma coisa que se resolve em alguns minutos. Foram nesses últimos dias que realmente entendi o que Willian P. Young quis dizer em um trecho do seu livro, A Cabana. (Uma boa literatura, diga-se de passagem.)

A escuridão esconde o verdadeiro tamanho dos medos, das mentiras e dos arrependimentos. A verdade é que eles são mais sombra do que realidade, por isso parecem maiores no escuro. Quando a luz brilha nos lugares onde eles vivem no seu interior, você começa a ver o que são realmente.

Finalmente vi o tempo perdido com coisas banais que em ampla escala se tornam irrelevantes, não poderia haver momento melhor pra perceber isso. O que aprendi nesses últimos dias carregarei por toda a minha vida. Não deixarei as sombras das coisas me assustarem ou me privarem de coisas que eu faria caso não as houvessem.

Que tal direcionar sua atenção para as coisas que realmente importam nessa vida? Fazer valer a pena essa sua curta temporada aqui, afinal… ninguém sabe o que vem depois.